07 agosto, 2009

feita de espuma


Passeio-me nas palavras dos outros e teço carpetes voadoras.

Feito odalisca em contos de mil-e-uma-noites, deixo que o meu corpo e mente se unam no puro prazer sensual das palavras desfiadas, emoções que me navegam na pele, arrepiando-a, descobrindo os véus com que me cubro da nudez.

O som difuso e confuso que se alonga nos meus ouvidos ecoa até à alma, enamorada das cantigas, suspirando pelas janelas dos olhos. Sim, enamorada das palavras, enamorada do amor.
(E)namorada da vida.

Os meus tapetes de odalisca incendeiam-se-me no pensamento, levam-me longe, para além do horizonte, para além deste invólucro lacrado que é a pele, que me sabe agora a Sol e a mar, a sal e às histórias de quem lhe toca, ao de leve.

E sonho.

Sonho muito, dizem-me que me segure, chamam-me do chão, vejo-os a esbracejar, nos olhos o medo que me perca de vez. De mim mesma.

Mas não temam, que sou feita de espuma, pois não vêem?

2 comentários:

LBJ disse...

Feita da espuma dos sonhos, basta saber caber num sonho feliz :)

Beijos

luz disse...

LBJ, fizeste-me sorrir :)