05 março, 2010

entre sombras palpáveis e outras que não


Há vezes em que a distância parece apenas poeira nas nossas mãos.

Há dias em que o coração se engana pensando que pulsa do outro lado da estrada, da ribeira, da Terra, do Mundo.

Há momentos em que as palavras são bebidas com uma voracidade atroz, e nos engolem na ilusão de que nos são (só a nós) oferecidas.

Há alturas em que é preciso fazer da distância mentirosa uma distância real, e voltar a assentar os pés neste chão, e perceber que o que se quer nem sempre é.


Mas estou aqui. De novo.
Devagar.

4 comentários:

Lita disse...

E estás muito bem.

LBJ disse...

Bem regressada, fico feliz.

Beijos

luz disse...

Lita! :)

Obrigado, LBJ. Eu também fico feliz.

eco disse...

e acho que sabes bem onde se chega melhor, sem pressas.

eco